Cirurgia robótica: vantagens e segurança para os pacientes

A cirurgia robótica funciona com pequenos cortes no corpo do paciente, onde serão introduzidos os braços e pinças do robô com os instrumentos e a câmera. O robô não faz nada sozinho.

O cirurgião responsável pelo procedimento envia os comandos para a máquina por meio de consoles que reproduzem com exatidão os movimentos do médico.

A cirurgia robótica surgiu em 1999, com a criação do robô Da Vinci. No entanto, só chegou ao Brasil em 2008, sendo o INCA o primeiro hospital federal a implementar esse tipo de cirurgia em seus pacientes. Atualmente, é utilizado para tratamentos oncológicos variados.

A seguir, saiba tudo sobre esse procedimento. Confira!

Vantagens e segurança da cirurgia robótica

Para o médico, a cirurgia robótica auxilia bastante em cirurgias longas, por evitar tremores devido ao cansaço. Além disso, como o cirurgião fica sentado em uma posição confortável, é menos cansativo ao longo do tempo.

Para os pacientes, o tratamento é menos invasivo e a recuperação, mais rápida. Caso perceba alguma alteração nos comandos dados pelo médico, ou o rosto dele saia da tela de comando por algum motivo, na mesma hora a máquina pára automaticamente, o que diminui bastante os riscos de falhas motoras.

Diferenças em relação aos outros tipos de cirurgia

Na cirurgia convencional ou aberta, o sangramento é maior, assim como o risco de infecção hospitalar. Outra vantagem da cirurgia robótica é ter um menor tempo de internação, pois a recuperação do paciente é muito mais rápida, já que a cirurgia é menos invasiva.

Em relação à cirurgia laparoscópica, a robótica é mais precisa, principalmente em locais de difícil acesso. Além disso, os movimentos do robô são mais intuitivos e não espelhados, como na laparoscopia. Dessa forma, o risco de erros diminui consideravelmente e o médico não precisa redobrar a sua atenção, focando apenas no essencial.

Futuro da medicina

A cirurgia robótica representa o futuro da medicina. O mais novo robô Da Vinci, de 2017, é um selador de vasos sanguíneos. Logo, ao efetuar um corte, o instrumento utiliza um feixe de tecidos para uma menor perda sanguínea, o que auxilia na recuperação do paciente e menor tempo de internação.

O robô Da Vinci Surgical System possui uma iluminação por fluorescência, o que permite ao cirurgião uma maior clareza de detalhes, fazendo com que os médicos vejam melhor os vasos sanguíneos e estruturas anatômicas do paciente.

Assim, com uma tecnologia de infravermelho, o instrumento faz o cirurgião ter, em tempo real, uma noção da anatomia do paciente e onde deve realizar a cirurgia com precisão.

Dessa forma, a cirurgia robótica não só auxilia na recuperação do paciente no pós operatório, por ter menos tempo de dor.

Além disso, a cirurgia feita por robô diminui o desconforto e hemorragias durante o procedimento, a retomada de atividades cotidianas pelo paciente também se torna mais rápida com essa cirurgia.

Além do processo de parada automática durante a cirurgia, já descrita aqui, a cirurgia robótica também passa por checagens de segurança, a cada uma hora de cirurgia.

A equipe de enfermagem também prepara o robô antes e depois da cirurgia, além de realizar os curativos e encaminhar o paciente para o quarto designado.

A cirurgia robótica é repleta de vantagens, não é?

Mas não pare por aí! O blog da Cedro tem muito mais informações sobre cirurgias, saúde e bem estar! Assine a newsletter agora mesmo e não perca mais nenhum conteúdo!