Saiba mais sobre melasma: causas, sintomas, tipos e tratamentos

A gravidez é um momento único na vida de uma mulher e, durante esse período, acontecem várias mudanças no corpo, como, algumas alterações hormonais, que podem se manifestar de várias formas. Uma delas, é o aparecimento de manchas escuras no rosto, chamadas de melasma.

Essas manchinhas podem acometer mulheres que não estão gestantes e até mesmo homens. Para esclarecer melhor sobre o que é o melasma, escrevemos este artigo. Continue a leitura e tire suas dúvidas sobre o melasma!

O que é Melasma?

Melasma é um transtorno dermatológico adquirido, crônico, que acomete em maioria mulheres entre os 20 e 50 anos com pele de tons mais escuros. Também pode aparecer em homens, mas a incidência é de apenas 10%.

É caracterizado pelo aparecimento de manchas escuras na pele, devido a uma hiperpigmentação, decorrente da deposição excessiva de melanina, que é a proteína que garante a coloração da pele e evita os danos da radiação ultravioleta.

Causas e Sintomas do Melasma

O melasma não possui uma causa definida. Porém, as evidências mostram que a alta exposição ao sol, terapias hormonais, gravidez, uso de anticoncepcionais e fatores genéticos favorecem o surgimento das manchas.

Os principal sintoma do melasma é o surgimento de manchas com tons que variam entre castanho-escuro e marrom-acinzentado, semelhantes à queimaduras. Possuem formatos irregulares e contornos definidos, que aparecem simetricamente em ambos os lados da face.

As manchas podem aparecer nas maçãs do rosto, na testa, nos lábios, queixo e têmporas, podendo também ser extrafascial, aparecendo no colo, pescoço e antebraços.

O melasma não possui nenhum tipo de sintoma associado, como dor ou coceira e sua remoção está ligada a aspectos estéticos.

Tipos histológicos de Melasma

A nossa pele é formada por duas camadas principais: a derme, que é a mais profunda e a mais superficial, chamada epiderme.

O melasma pode afetar essas duas camadas, sendo classificado como:

  • Epidérmico, quando surge na epiderme;

  • Dérmico, caso se deposite na derme;

  • Misto, que ocorre quando as duas camadas são afetadas.

A importância da prevenção e do protetor solar

Se proteger contra os raios solares é muito importante, não somente para evitar o melasma, como também o câncer de pele o envelhecimento precoce. Sendo assim, o uso do protetor solar é algo indispensável.

Os raios solares podem ser de dois tipos:

E, é preciso atenção na hora de escolher o protetor solar adequado, pois é preciso levar em consideração a proteção contra os raios UVA, que atingem as camadas mais profundas da pele e os raios UVB, que focam nas camadas mais superficiais da pele.

O protetor solar deve ser utilizado mesmo em dias frios, nos quais aparentemente, não há exposição à luz do sol e em ambientes fechados, quando se há a exposição à luzes do ambiente e do computador, por exemplo.

Como prevenir o Melasma?

A melhor forma de prevenção do melasma é o uso de protetor solar que seja adequado para seu tipo de pele. Junto ao protetor, deve ser tomadas outras medidas de proteção, como uso de chapéus, bonés, viseiras e óculos de sol.

Uma dica é optar pelo protetor solar com bases, o que já facilita bastante que possui uma rotina mais corrida. Além disso, ir ao médico regularmente pode facilitar o diagnóstico e, por consequência, o tratamento.

Como tratar?

O melasma é tratado pelo médico dermatologista.

O tratamento costuma demorar alguns meses, porém nos dois primeiros já é possível um resultado mais satisfatório.

Uma coisa comum em todas as prescrições médicas do tratamento para o melasma é o uso de protetor solar com FPS mínimo de 30 e que possua fatores de proteção contra os raios violetas UVA e UVB.

Os tratamentos mais comuns são:

  • Agentes tópicos, ou seja, pomadas e cremes, geralmente a base de hidroquinona que promovem um clareamento gradual;

  • Laser e luz intensa pulsada que, se usada combinada com outros tratamentos, promove uma maior eficácia na remoção do melasma;

  • Tratamentos com ácidos, como o tranexâmico, que pode ser utilizado por via oral e intradérmica;

  • Peelings químicos superficiais, aplicados através de esfoliação cutânea.

Depois do parto, o melasma pode reduzir gradualmente, de forma espontânea.

Ao aparecimento dos primeiros sinais de melasma, procure o profissional médico e não tente qualquer tipo de tratamento caseiro. O uso de produtos inadequados pode piorar os sintomas do melasma, o que irá dificultar ainda mais a remoção das manchas.

Aqui no blog da Cedro você sempre encontrará conteúdos informativos e interessantes para você, como dicas sobre saúde, qualidade de vida e esclarecimentos sobre doenças e disfunções. E, para receber nossas notícias em primeira mão, assine aqui a nossa newsletter!