Síndrome de Burnout: quando o trabalho em excesso faz mal pra saúde

O nome síndrome de Burnout, talvez, seja novidade para você, mas provavelmente os sintomas lhe sejam bem familiares.

Sobretudo, as cobranças no trabalho, bem como o excesso de tarefas, desencadeiam a doença, que afeta 40% dos profissionais da atualidade.

A saber o Brasil, é o segundo país com maior prejuízo econômico por causa da depressão no trabalho.

Leia mais adiante, informações sobre a síndrome de Burnout, e saiba como identificar e evitar esse problema de saúde.

O que é Síndrome de Burnout?

Conhecida também como esgotamento profissional, a síndrome de Burnout é caracterizada pelo excesso de trabalho.

Além disso, ela está relacionada a pressões profissionais, altos níveis de estresse e sobrecarga de responsabilidades.

Assim sendo, médicos e enfermeiros, professores, policiais e jornalistas são alguns dos profissionais que mais sofrem com a doença.

A saber este nome tem referência na língua inglesa, onde “burn” quer dizer queima e “out” exterior, logo, Burnout.

A doença foi descoberta no Brasil, e teve o primeiro registro do caso em 1974, pelo médico psicanalista, Herbert Freudenberger.

O nome Burnout, é justamente pelo acúmulo de estresse causar danos físicos e psicológicos à pessoa com tal sobrecarga.

Como identificar a Síndrome de Burnout?

Como a doença está relacionada ao trabalho, os sintomas podem aparecer horas antes e depois do expediente.

Lembrando que, elas são “vividas” de forma intensa, onde as emoções e sentimentos envolvidos fogem do controle.

Veja os sintomas:

  • Sensação de exaustão, esgotamento de energia;
  • Cansaço excessivo tanto físico quanto mental;
  • Insônia;
  • Isolamento;
  • Negativismo ou cinismo profissional constante;
  • Falta de interesse em trabalhar;
  • Sensação de incompetência profissional;
  • Problemas gastrointestinais;
  • Alteração nos batimentos cardíacos.
  • Redução da eficácia profissional.

Portanto, se você apresenta um ou mais sintomas, ou conhece alguém que os apresente, a nossa orientação é buscar ajuda médica.

Sobretudo, porque se não for identificada a e tratada no início, ela pode evoluir para um quadro de Depressão profunda.

Diagnóstico e tratamento da Síndrome de Burnout

Em suma, o psicólogo ou psiquiatra são os responsáveis para diagnosticar e passar o tratamento adequado à síndrome.

Assim, o tratamento basicamente é psicoterapia, juntamente com medicações, quando esta for necessária.

Como prevenir e evitar a Síndrome?

A vida por si só é feita de escolhas, que nelas, trazem boas ou más consequências a longo prazo.

Sendo assim, definir os espaços para trabalhar e para outras atividades, faz parte de uma vida equilibrada:

  • No trabalho, faça o seu melhor e evite a perfeição. “O feito é melhor que o perfeito.”
  • Defina horários para trabalhar e para falar de trabalho;
  • Procure ter momentos para descansar, ficar com a família e com os amigos;
  • Avalie as condições do ambiente de trabalho, veja se vale a pena continuar onde está;
  • Cuide de sua saúde mental e física regularmente;
  • Fale sobre as frustrações profissionais com um psicólogo, ele pode te ajudar muito a elevar seu controle emocional.

Conhecimento é bom pra saúde

A Cedro Corretora de Seguros tem os melhores planos de saúde e traz as melhores informações para você se cuidar mais.

Logo, convidamos você a assinar nosso newsletter e receber gratuitamente, informações que alertam sobre os cuidados com a Síndrome de Burnout, entre outros que podem afetar a sua qualidade de vida.