Como é feito o teste de paternidade: o guia completo

Muitas pessoas comentam sobre o famoso exame de DNA, mas poucos sabem como realmente funciona. Pensando em esclarecer as suas dúvidas, nós trouxemos este artigo para te explicar como é feito o teste de paternidade.

Orçamento em Todo o Brasil de Planos de Saúde, Odontológicos ou Seguros

Receba um contato por WhatsApp ou Ligação em 1 minuto

Seria possível fazer o exame de DNA escondido? Como é feito o teste de paternidade? Existe algum fator que pode alterar o resultado? O que é necessário para fazer o exame? Neste artigo, você encontra resposta para essas e muitas outras perguntas. Se você ficou interessado e deseja ficar por dentro de tudo, é só continuar lendo este texto. Vamos lá? Boa leitura!

Como é feito o teste de paternidade?

De antemão, o teste de paternidade é aquele exame feito com o objetivo de descobrir o grau de parentesco existente entre o indivíduo e o seu suposto pai. Com relação à fase em que pode ser realizado, este teste pode ser feito tanto durante a gravidez quanto após o nascimento.

Para isso, é necessário coletar algumas amostras de material genético do provável pai. Contudo, quando este já se encontra falecido, é coletada uma amostra de sangue do pai falecido. Mas, afinal, como é feito o teste de paternidade? A Corretora Cedro explica!

Em continuidade ao que estava sendo dito no parágrafo anterior, o teste de paternidade é feito a partir da análise da amostra de material genético coletada. Depois de enviada para o laboratório, alguns testes moleculares serão realizados, os quais indicam o grau de parentesco existente entre as duas pessoas.

Com relação ao resultado do exame, quando é liberado? Geralmente, o resultado do teste de paternidade é liberado entre 2 e 3 semanas, mas pode depender de acordo com o laboratório escolhido. Sendo assim, é interessante que você pergunte o prazo para que não haja falha na comunicação.

Tem como fazer exame de DNA escondido?

Em primeiro lugar, é de suma importância mencionar que, quando a criança é menor de idade, o exame de DNA deve ser feito com a autorização da mãe. Por outro lado, se a mãe não está presente ou se encontra falecida, esse consentimento pode ser dado pelo pai do registro de nascimento ou por um responsável legal pela criança.

Outro ponto que vale a pena mencionar é que seria interessante contar com amparo legal para a realização do teste de paternidade. Isso acontece porque o resultado pode ser utilizado para outros processos, tais como: pensão alimentícia, registro de nome e outros.

Há fatores que alteram o resultado do exame?

Antes de mais nada, o teste de paternidade apresenta 99,9% de confiabilidade. Entretanto, alguns fatores podem alterar o resultado do exame sim.

No caso de pacientes que passaram por transfusão de sangue ou transplante de medula nos últimos 6 meses, estes indivíduos devem aguardar mais tempo para fazer o exame de DNA. No entanto, se a realização do teste possui certa urgência, a amostra coletada não pode ser de sangue.

Tipos de teste de paternidade

Primeiramente, o exame de DNA pode ser feito em trio (quando a investigação é feita entre mãe, filho(a) e suposto pai) ou duo (realizado entre o filho(a) e o suposto pai). Além disso, existem alguns tipos de teste de paternidade, os quais podem ser:

  • Pré-natal: o exame pode ser feito a partir da 8º semana de gestação através da coleta do sangue da mãe, pois o DNA do bebê já pode ser detectado no sangue materno.
  • Por amniocentese: pode ser realizado entre as semanas 14 e 28 de gestação. Com relação à amostra do material genético, uma parte do líquido amniótico é coletada para fazer a comparação.
  • Por cordocentese: este tipo de exame já pode ser feito a partir da 29º semana de gravidez e a coleta do sangue do feto acontece através do cordão umbilical.
  • Por vilo corial: pode acontecer entre a 11º e 13º semana de gestação e é feito através da coleta de fragmentos da placenta.

Qual é o exame de DNA mais seguro?

Afinal, será que o exame de DNA é realmente seguro? Vamos lá… Como dito anteriormente, o teste de paternidade é 99,9% confiável. As chances do resultado positivo não corresponder à realidade é de 1 em milhão.

Por outro lado, o exame de DNA é 100% confiável na hora de descartar a paternidade, pois indica que não há semelhança genética entre os indivíduos analisados. Ou seja, não há a possibilidade de haver grau de parentesco entre eles.

Participe do nosso Canal Silencioso do Telegram

Você vai receber conteúdos direto no seu celular, sem custo e totalmente gerenciado pela nossa equipe de escritores.

Participar do Canal do Telegram

O que é necessário para fazer o exame de DNA?

De antemão, você só precisa ir a um laboratório para a realização do exame de DNA. Tanto pode ser feito de forma autônoma quanto por meio de um pedido judicial. Após isso, é necessário que a coleta dos materiais genéticos seja feita para que haja uma comparação entre eles.

Orçamento em Todo o Brasil de Planos de Saúde, Odontológicos ou Seguros

Receba um contato por WhatsApp ou Ligação em 1 minuto

Como é feito o teste de paternidade: saiba mais

Receba conteúdos e ofertas quentes na hora no seu email

Já somos mais de 5.000 assinantes em todo o Brasil, assine você tambem.

Agora que você já sabe como é feito o teste de paternidade, chegou a hora de você assinar nosso newsletter para ficar por dentro de muitos outros assuntos relevantes e que serão extremamente úteis para a sua vida como um todo. É simples e gratuito, não tem como se arrepender!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *